Google+ Badge

Google+ Badge

Google+ Badge

segunda-feira, 30 de julho de 2012

O dogma da reencarnaçao .

Em que se funda o dogma da
reencarnação?

“Na justiça de Deus e na revelação, pois
incessantemente repetimos: o bom pai
deixa sempre aberta a seus filhos uma porta
para o arrependimento. Não te diz a razão
que seria injusto privar para sempre da
felicidade eterna todos aqueles de quem
não dependeu o melhorarem-se? Não são
filhos de Deus todos os homens? Só entre os
egoístas se encontram a iniqüidade, o ódio
implacável e os castigos sem remissão.”
Todos os Espíritos tendem para a perfeição
e Deus lhes faculta os meios de alcançá-la,
proporcionando-lhes as provações da vida
corporal. Sua justiça, porém, lhes concede
realizar, em novas existências, o que não
puderam fazer ou concluir numa primeira
prova. Não obraria Deus com equidade, nem
de acordo com a Sua bondade, se
condenasse para sempre os que talvez
hajam encontrado, oriundos do próprio
meio onde foram colocados e alheios à
vontade que os animava, obstáculos ao seu
melhoramento. Se a sorte do homem se
fixasse irrevogavelmente depois da morte,
não seria uma única a balança em que Deus
pesa as ações de todas as criaturas e não
haveria imparcialidade no tratamento que a
todas dispensa.
A doutrina da reencarnação, isto é, a que
consiste em admitir para o Espírito muitas
existências sucessivas, é a única que
corresponde à idéia que formamos da
justiça de Deus para com os homens que se
acham em condição moral inferior; a única
que pode explicar o futuro e firmar as
nossas esperanças, pois que nos oferece os
meios de resgatarmos os nossos erros por
novas provações. A razão no-la indica e os
Espíritos a ensinam. O homem, que tem
consciência da sua inferioridade, haure
consoladora esperança na doutrina da
reencarnação. Se crê na justiça de Deus, não
pode contar que venha a achar-se, para
sempre, em pé de igualdade com os que
mais fizeram do que ele. Sustém-no, porém,
e lhe reanima a coragem a idéia de que
aquela inferioridade não o deserda
eternamente do supremo bem e que,
mediante novos esforços, dado lhe será
conquistá-lo. Quem é que, ao cabo da sua
carreira, não deplora haver tão tarde ganho
uma experiência de que já não mais pode
tirar proveito? Entretanto, essa experiência
tardia não fica perdida; o Espírito a utilizará
em nova existência. (A.K.)              



                                                                                                        calite

domingo, 22 de julho de 2012

AJA COM CALMA

Aja com Calma

Não se deixe consumir pelas excitações e nervosismos desses dias tão agitados. Procure fazer tudo com calma. É compreensível que num tempo em que ainda se afirma que tempo é dinheiro, você tenha os ímpetos comuns da época, quais sejam os de ganhar e ganhar, temendo as necessidades futuras.

É justificável que você corra de um lado para outro, na busca dos bons negócios, da conquista de melhores mercados, na busca, enfim, dos lucros.

É admissível que você não tenha tempo para se alimentar devidamente, para repousar um pouco, para meditar um pouquinho ou para orar.

Entendemos, m
eu irmão e minha irmã, que cada um dos seus negócios ou cada uma das suas ocupações lhe exija atenção e envolvimentos especiais.

Entretanto, vale a
pena não esquecer que tudo isso é secundário para a vida da alma, porque tudo isso vai ficar sobre o pó do mundo.

Foi Jesus que nos recomendou não nos atormentássemos pela posse do ouro, e que a cada dia já bastam s
eus problemas.

Então, devemos
pensar que o corpo físico nos é emprestado enquanto estamos no planeta com os divinos objetivos do progresso espiritual.

Compreendamos, pois, que a c
alma deve se tornar companhia e conselheira dos nossos dias terrenos, ensinando-nos a fazer tudo com moderação, procurando vincular a mente ao psiquismo celeste, a fim de que não convertamos em tormento e destruição o que deveria ser fonte de vida e de alegria: o tempo.

Aja sempre com c
alma, para que tenha tempo de pensar bem sobre tudo e de agir bem em tudo que faça.

Alimente-se o mais corretamente possível, preservando o corpo que o ajuda tanto. Dê ao s
eu corpo e à mente alguns momentos de repouso, para manter a necessária sanidade.

Encontre um tempinho, alguns poucos minutos que sejam, para meditar sobre a sua
realidade no mundo, sobre o que é que Deus espera de você, e ore.

Procure sintonizar-se com s
eu anjo guardião, com os nobres mentores da vida, pelo menos ao iniciar um novo dia de atividades.

Essas pro
vidências, ao mesmo tempo em que lhe trarão calma, serão conseqüências do seu estado de calma.

Com c
alma em seu cotidiano, você evitará as indisposições com terceiros, as irritações na via pública, a agressividade no trânsito da cidade, bem como os estresses desnecessários dentro do lar.

Com c
alma você entenderá cada ocorrência a sua volta e cada pessoa em seu caminho.

Nada você perderá pelo uso da c
alma em sua trajetória humana, pois, longe de alimentar-se da idéia materialista de que tempo é dinheiro, você começará a pensar que, fundamentalmente, tempo é oportunidade, e que você deverá aproveitá-la para o melhor.

Mesmo que deixe de lucrar algumas poucas moedas, no jogo enlouquecido das competições, você conquistará
harmonia e saúde, a fim de prosseguir na rota da felicidade que tanto deseja.

Seja qual for a situação cotidiana que o convide à ação, à tomada de
atitude, faça-o com calma, com muita calma, e aguarde os resultados excelentes em clima de paz.

A
inteligência é rica de méritos para o futuro, mas, sob a condição de ser bem empregada.

Se todos os homens que a possuem dela se servissem de
conformidade com a vontade de Deus, fácil seria, para os espíritos, a tarefa de fazer que a humanidade avance.

                                                                                           MOMENTO ESPIRITA
 
                                                                                                       CALITE.         

ALLAN KARDEC

Flor Retorcida - Papel de ParedeA cada novo estágio na erraticidade, novas maravilhas do mundo invisível se desdobram diante do seu olhar, porque, em cada um desses estágios, um véu se rasga. Ao mesmo tempo, seu envoltório fluídico se depura; torna-se mais leve, mais brilhante e mais tarde resplandecerá. É quase um novo Espírito; é o camponês desbastado e transformado. Morreu o Espírito velho, mas o eu é sempre o mesmo.
É assim, cremos, que convém se entenda a morte espiritual.

(Do livro "Obras Póstumas", 38, Allan Kardec)

sexta-feira, 6 de julho de 2012

CHICO XAVIER ( SEXO E PECADO OU NAO )

Vamos ler este artigo do Richard Simonetti dizendo se o sexo é pecado ou não:

Pergunta o jovem:
– E daí, Chico. sexo antes do casamento é proibido?
Responde o médium:
– Meu filho, nada é proibido. No entanto, sem amor, nada vale a pena, nem o sexo, nem o casamento.

Notável observação!

A Doutrina Espírita, proverbialmente, enfatiza a consciência livre.
Não há proibições, considerando-se que a responsabilidade é uma planta frágil que só cresce em regime de liberdade. Isso não consagra a idéia do liberou geral, já que tudo o que fizermos, dentro dos princípios de causa e efeito que nos regem, terá uma conseqüência.Tenho a liberdade de fazer o que me aprouver, mas sempre responderei por minhas iniciativas.
Digamos, caro leitor, que desfrutamos todos de uma liberdade vigiada.
Os deslizes de comportamento fatalmente resultarão em cobranças, não na forma de punições divinas, mas de reações de nossa própria consciência, considerando que fomos programados para o que é certo, justo, verdadeiro. O mal será sempre um desvio transitório de rota, com retorno obrigatório aos caminhos do Bem.
Em última instância, temos a liberdade de fazer exatamente… o que Deus espera de nós!
Tudo o que não for compatível com os desígnios divinos resultará em males tendentes a corrigir nossa rota.
Detalhe importante: as cobranças serão tanto mais severas quanto mais desenvolvido o Espírito em conhecimento, quanto mais amadurecido, mais capaz de distinguir o certo do errado, o Bem do mal.
Com relação à vida sexual, operou-se na década de sessenta, no século passado, uma revolução nos países ocidentais.
Vão longe os tempos em que sexo era considerado algo de pecaminoso, a ser exercitado apenas para a procriação, conforme ensinavam os manuais religiosos. Vale lembrar que o dogma da virgindade perene de Maria foi inspirado nessa idéia. Como, argumentavam os teólogos, poderia a mãe de Jesus, personificação da pureza, ter se dado ao desfrute de uma relação sexual?
A forma de contornar essa dificuldade foi o dogma da virgindade perene de Maria. Não teria coabitado com José, mantendo-se casta. Havia um problema: nos Evangelhos há referência aos irmãos de Jesus. Resolveu-se a pendência com a idéia de que José tivera filhos de um casamento anterior, ou seriam apenas primos seus.
Não há limites para a fantasia quando renunciamos à lógica e ao bom senso.
Para o Espiritismo a atividade sexual não tem nada de pecaminosa. É por ela que viemos ao Mundo. É graças a ela que as espécies subsistem.
O problema para os teólogos estaria no prazer.
Sem prazer não haveria excessos, viciações, desajustes, paixões avassaladoras, traições…
Em contrapartida, estaria ameaçada a sobrevivência humana!
Já pensou, leitor amigo: sexo burocrático, frio, apenas para perpetuar a espécie?
Na realidade, o que compromete o relacionamento sexual são os excessos. Sexo, na atualidade, deixou de ser parte do amor, convertendo-se em sinônimo dele. Quando o jovem fala em fazer amor, expressão lamentável, está se referindo à prática sexual, como se o amor fosse sexo e não parte dele apenas.
E sem amor, como diz Chico, nada vale a pena, nem mesmo o sexo!

Do livro Rindo e Refletindo com Chico Xavier, volume II

Share Delicious Digg Design Float Mixx Reddit StumbleUpon Technorati Tags: Amor e Paixão, Sexo, Sexo à Luz do Espiritismo, Vida Sexual
Sobre o Autor

Richard Simonetti.                                                                                         BJ CALITE !